Se você quer arrumar a sua empresa, mas não sabe por onde começar, está na hora de entender como um plano de gerenciamento de riscos pode ajudá-lo — e muito — nessa tarefa.

A gestão de riscos de um negócio pode ser a salvação diante de problemas graves, que podem envolver sérios prejuízos para o caixa da sua empresa, impactando diretamente na saúde financeira da organização.

Por isso, desenvolvemos esse miniguia com as principais informações sobre um plano de gerenciamento de riscos. Confira!

O que é um plano de gerenciamento de riscos?

O plano de gerenciamento de riscos contempla a organização, direção e controle de todo o quadro de colaboradores de uma empresa, bem como dos materiais do negócio, de modo a diminuir ou tirar proveito dos riscos e das incertezas a respeito dessa organização.

As incertezas são representadas pelos riscos e pelas oportunidades e possuem a capacidade de destruir ou agregar valor à empresa. Gerenciar os riscos do negócio permite que o empreendedor seja eficiente ao lidar tanto com as incertezas, como com os riscos e as oportunidades que vêm junto com elas. Dessa forma, será possível aprimorar a capacidade de geração de valor do seu estabelecimento.

A empresa consegue potencializar o seu valor ao estabelecer estratégias e objetivos, a fim de atingir o equilíbrio desejado entre as metas de expansão e de retorno sobre investimentos, incluindo os riscos que estão associados a elas. Assim, os recursos são explorados com mais eficiência e eficácia, sempre em busca dos objetivos da empresa.

O significado de gerenciamento de riscos ISO 31.000 diz que uma gestão de risco bem feita precisa obedecer às seguintes regras:

  • proteger e criar valor para as organizações;

  • ser parte integrante de todos os processos organizacionais;

  • ser considerada no processo de tomada de decisão;

  • abordar explicitamente a incerteza;

  • ser sistemática, estruturada e oportuna;

  • basear-se nas melhores informações disponíveis;

  • estar alinhada com os contextos internos e externos da organização e com o perfil do risco;

  • considerar os fatores humanos e culturais;

  • ser transparente e inclusiva;

  • ser dinâmica, interativa e capaz de reagir às mudanças;

  • permitir a melhoria contínua dos processos da organização.

Para que serve o planejamento da gestão de riscos?

Existem algumas funções básicas desempenhadas pelo planejamento de gestão de risco. Conheça as principais finalidades dessa ferramenta de gerenciamento empresarial:

Criar alinhamento entre a tolerância da empresa e os riscos presentes na estratégia escolhida

Os gestores precisam analisar as ações a serem tomadas para que possam definir os objetivos relativos a elas, viabilizando mecanismos para a gestão desses riscos.

Tornar as deliberações relacionadas aos riscos mais fortes

O gerenciamento de riscos corporativos proporciona austeridade no reconhecimento e na seleção das possibilidades de respostas aos riscos. Ou seja, maneiras de impedir, tornar menores, dividir e aceitar os riscos.

Minimizar os imprevistos e prejuízos relativos à operação do negócio

Uma vez que as empresas passam a identificar melhor o que pode acontecer, estabelecendo respostas a esses potenciais eventos, de modo a diminuir as surpresas e as despesas ou prejuízos envolvidos.

Reconhecer e identificar riscos variados

Toda empresa combate diversos tipos de riscos com o potencial de impactar diferentes setores da organização. Gerenciar os riscos do negócio cria oportunidades de desenvolver soluções integradas e eficientes em relação aos problemas.

Por que é importante?

Quando o gerenciamento de riscos corporativos é tratado como um sistema de gestão de forma contínua e disciplinada, a empresa tem como principal benefício a diminuição de imprevistos. Dessa forma, a proatividade se torna o foco das ações empresariais, deixando a reatividade para trás, para que as atividades sejam desenvolvidas com mais agilidade.

O início do processo de gerenciamento de riscos de uma empresa se dá no momento em que o time reconhece as possíveis ameaças relacionadas ao negócio, identificando quais delas têm maior probabilidade de acontecer, tendo como base experiências anteriores, informações estatísticas etc.

Como aplicar?

Após identificar e analisar os riscos pertinentes à organização, a gestão das ameaças contempla a criação de respostas para todos os riscos individualmente. Existem três formas de respostas que podem ser geradas:

  1. eliminação do risco: é quando a empresa tem a habilidade de criar uma ação para eliminar a causa do risco;

  2. mitigação: é a diminuição dos prejuízos financeiros por meio da atenuação da probabilidade de que aconteça;

  3. aceitamento: ao admitir as consequências do risco, é comum que um plano de contingência seja desenvolvido, de modo a pautar a adoção de medidas corretivas, com o objetivo de resolver os entraves que vão surgindo à medida que se manifestam os resultados dos riscos admitidos.

Por fim, é dado início ao processo de acompanhamento e controle. Isso significa manter o plano de gerenciamento de riscos devidamente atualizado. Uma boa maneira de fazer isso é utilizar o registro dos riscos. Trata-se de uma documentação que, aos poucos, será completada de acordo com o descritivo das ações propostas para cada caso.

As informações desse documento de registro devem ser completas e detalhadas, incluindo, por exemplo, as despesas de cada ação. O plano de contingência precisa determinar o custo de cada movimento. Colocar em prática o acompanhamento dos riscos relativos ao negócio é a única maneira de fazer com que o gerenciamento de riscos funcione, evitando imprevistos desagradáveis que podem prejudicar as operações da empresa.

Quais são os maiores desafios?

É um processo desafiador para o gestor de um negócio saber identificar os riscos nos quais sua empresa está inserida, pois para isso é preciso ter o distanciamento do olhar para enxergar tudo pelo lado de fora, sem que fatores tanto emocionais como da rotina estejam presentes.

Para isso, existe a figura da consultoria, que pode ajudar muito nesse processo. Uma consultoria de negócios tem como função a otimização dos processos de um negócio, a fim de tornar mais fácil essa caminhada em busca de resultados positivos.

A consultoria empresarial tem o seu serviço pautado no diagnóstico e no estabelecimento de processos que auxiliam a reconhecer as oportunidades, ameaças, pontos fortes e fracos do negócio. Portanto, ao contar com a ajuda de uma consultoria, será possível desenvolver um plano de gerenciamento de riscos eficiente, a fim de resolver os problemas e evitar que novos entraves sejam criados.

Com as informações reunidas neste post, você conseguiu entender que um plano de gerenciamento de riscos bem-feito pode ser a salvação do seu negócio contra possíveis prejuízos, impactando diretamente na saúde financeira da sua empresa.

Você já tomou alguma ação eficiente em relação aos riscos do seu negócio? Deixe seu comentário abaixo!

Categorias: Sem categoria

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *