Uma nova realidade

Novas adaptações no trabalho têm transformado cada vez mais a vida dos brasileiros. Segundo um artigo disponibilizado pelo jornal O Estado de São Paulo, atualmente 12 milhões de pessoas trabalham em home office.

O termo home office quer dizer “escritório em casa”, que é aplicado como uma modalidade de trabalho a qual permite que pessoas e empresas se conectem à distância. O que era algo incomum para muitas empresas, se tornou necessário devido à crise mundial em relação ao COVID-19.

Desse modo, uma pesquisa da SAP Consultores Associados realizada com 200 empresas brasileiras revelou que 36% destas adotam práticas de home office, sendo 75% só em São Paulo. E o número brasileiro ainda é pequeno se comparado a realidade norte-americana. O fato é que, na contramão das expectativas das empresas, a satisfação pessoal de quem trabalha em casa é maior e o sistema não tem gerado problemas trabalhistas. Esses números apresentam uma mudança de comportamento do consumidor e é um gatilho para mudanças estratégicas.

crise - home office

 

O home office na crise

Segundo o outro artigo publicado pelo Jornal da USP, até 2019 o home office era associado aos informais. Já em 2020, começou a ser realizado por profissionais de nível superior. Os autônomos representavam 88,3% do total das pessoas que trabalhavam em casa. Hoje, no novo modelo, representam menos que 15% do total (PNAD-Covid). Ou seja, o novo perfil de profissionais em home office, são aqueles com ensino superior: professores, gerentes e administradores, trabalhadores de escritório etc.

 

Essa mudança, pode ser explicada por alguns fatores, como: não ter problemas pessoais com a troca, já que o cenário é marcado pelo desemprego; segurança em relação à própria saúde, pelo fato de não sair de casa; por fim, destaca-se o tempo “ganho” em deslocamentos. Para as empresas, o ganho é a redução de gastos administrativos com os escritórios, aumento de desempenho do colaborador, redução em vale-transporte, acidentes e principalmente a gestão baseada em resultados.

 

A estratégia Saffi

A nossa estratégia sempre foi direcionada nos locais físicos de trabalho seja nas prospecções via telefone ou no porta-porta. Então, como chegar até esses clientes nesse cenário apresentado?

Vamos a um exemplo: quando a nossa concentração é interrompida por qualquer motivo, muitas vezes temos o hábito de desfocar e acessar conteúdos sem relação com o trabalho, como redes sociais, rádios, dar uma volta na rua, ir à padaria do bairro etc. E é nesse momento que vamos captar esses clientes!

 

E-mail

Ainda que antigo, o e-mail marketing tem sido uma grande oportunidade de chamar atenção dos clientes. Conteúdos informativos ao invés de propaganda de produtos tem sido a estratégia de diversas marcas. Assim, naquele tempo livre para ver a caixa de e-mails, você tem a chance de chamar atenção do seu cliente oferecendo um conteúdo relevante e informativo para ele.

 

Redes Sociais

Impulsionar suas publicações nas redes sociais, como no Instagram, ajuda a atingir o perfil específico de cliente que valoriza o seu conteúdo. Outras redes como o LinkedIn, voltado a assuntos profissionais, pode ser uma boa plataforma para gerar conteúdo que sejam atrativos para o negócio do seu cliente. Por exemplo: “como a consultoria ajuda as empresas na crise?”.

 

Podcasts

O podcast é um conteúdo de mídia, geralmente áudio, em que você acessa conteúdos de diversos temas, na hora que quiser. Um diferencial para clientes que param alguns minutos para ouvir um conteúdo informativo.

 

Google Ads

Essa ferramenta é muito útil ao se tratar de anúncio. Quando seu cliente buscar por uma palavra-chave que se relacione com seu trabalho, seu anúncio estará nas primeiras colocações do Google e atrairá visitas ao seu site. Depois disso, basta trabalhar essa conversão.

 

Por meio dessas ferramentas, você tem seus leads. Mas o que fazer depois disso? A resposta de agora é a mesma de antes: trabalhe com a Jornada do Cliente. O que já era importante em uma rotina normal, torna-se imprescindível diante da atual crise.

 

O que é a Jornada do Cliente?

Por palavras simples, a Jornada do Cliente se trata da experiência que os consumidores têm com a sua marca por toda vida. Logo, essa jornada se inicia com o primeiro contato entre cliente e empresa (seja por um anúncio ou por ligação) e vai até o pós venda.

 

jornada do cliente - crise

A Jornada do Cliente pode ser definida por etapas, de acordo com as características do público que entram em contato com a sua consultoria. Cada pessoa entra em contato com a sua marca de uma forma diferente, sendo assim, é necessário trabalhar de formas diferentes para converter seu lead em cliente:

 

Aprendizado e descoberta

Desperte a consciência do cliente sobre seu produto ou serviço gerando uma situação de necessidade. Você sabe que seu produto pode oferecer ao cliente a solução, mas isso precisa ficar nítido para ele na hora da venda.

 

Consideração da solução

Com isso, surge no lead o interesse em conhecer mais sobre aquele produto e como pode ajudá-lo. Seja prestativo e dedique tempo e empenho para retribuir o interesse dele em conhecer sua marca.

 

Decisão de compra

Seus potenciais clientes já estão cientes do problema e passam a considerar suas soluções. Nessa etapa, é esperada que haja a conversão: seu cliente compre seu produto, no caso de uma consultoria, feche um projeto.

 

Fidelização

Após a compra, é essencial buscarmos uma fidelização em que os clientes mantêm um relacionamento com a sua marca.

 

Portanto, percebe-se que mudando nossa estratégia, não é impossível atingir os clientes nesse novo cenário! O mercado da Consultoria se mantém forte e, mais do que nunca, empresas precisam dos nossos serviços para superar os problemas surgidos na crise.

 

Qualquer dúvida, o Suporte Saffi está à disposição!

 

Texto escrito por Mariana Borelli, Suporte Saffi Consultoria.

 

Categorias: Franquias

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *